Mulher e negra

Petição pede escritora Conceição Evaristo na ABL.


Créditos: PaulaA75 / Wikimedia Commons

Duas mobilizações criadas na Change.org pedem que a escritora mineira Conceição Evaristo, vencedora do Prêmio Jabuti com a obra “Olhos d’água (2014)”, seja escolhida para a Academia Brasileira de Letras, lar dos imortais da literatura do Brasil. Somadas, as petições registram cerca de 25 mil assinaturas.

Se a escolha ocorrer, será a primeira vez em 120 anos que a ABL terá uma escritora negra como membra.

Petição do grupo Diálogos Insubmissos: change.org/ConceicaoEvaristoNaABL

Petição do Movimento Nós: change.org/ABL-ConceicaoEvaristo

Doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense, mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, Conceição Evaristo pode vir a ocupar a cadeira numero 7 da ABL, que ficou vaga após o falecimento do cineasta Nelson Pereira dos Santos.

Para o grupo Diálogos Insubmissos de Mulheres Negras, que criou uma das campanhas, a escritora representa toda a população negra do país – em especial as mulheres.

“Seu elenco de livros publicados reescreve a história do Brasil a partir do ponto de vista de quem a vivencia, desde a chegada forçada de seus ancestrais, a partir de todas as suas trágicas e cotidianas impossibilidades”, diz o grupo em sua petição.

“Esta é a hora para uma indicação de pessoas negras de grande relevância, produção e contribuição literárias”, diz o Movimento Nós, que também pede a indicação de Conceição Evaristo para a ABL, através de uma campanha online.

Até hoje, apenas oito mulheres fizeram ou fazem parte da ABL: Nélida Piñon, Zélia Gattai, Lygia Fagundes Telles, Rosiska Darcy de Oliveira, Cleonice Berardinelli, Dinah Silveira de Queiroz, Rachel de Queiroz e Ana Maria Machado. Considerando que a ABL já teve mais de 290 membros ao longo de sua história, é muito pouco.